sábado

toco a música e respiro tudo o que o ar me dá

confio na possibilidade de continuar a acreditar que tudo vai dar certo

és mais do que estórias que se contam quando alguém procura sossego

tudo o que posso querer é um pouco de poesia sem sentido, é a alma que nasce em tempos que se dizem perdidos, é no sufoco, disseram-me, de não se saber quem é, na angústia que se sente quando cada vez mais são as dúvidas que nos sustentam e não as certezas que nos aliviam o peso que sentimos quando diante de vós grito com tudo o que sou e com tudo o que tenho que só com Ele encontro o amor

encontra-me num abraço, encontra-me na memória daquele sorriso que não consegues colocar em mais nenhuma memória


terça-feira

escrevo à pressa, o tempo é corrida, imutável, o segundo que passou já não será nunca meu

aperto-te o pulso, confia, vai cair, vais sentir

sossego no ouvido, tranquilo, respiro e digo-te com um suspiro: o amor é nosso.