sexta-feira

- Olá bom dia, Senhor Raul está por cá?

O Senhor Raul Bacalhau tinha apresentado queixa na esquadra porque um cavalheiro muito mal educado tinha ido à sua loja ofender mais de 89% da sua família, algo simplesmente inadmissível.

- Estou pois, estou pois meu caro, o que veio comprar? Se veio para ofender leva já uma lambada!
- Acalme-se Senhor Raul, o meu nome é Ribeiro Laranja, sou agente da autoridade anual, vim porque o senhor fez uma queixa sobre um cavalheiro muito mal educado.
- Ah! Ah pois fiz! - Disse o senhor Raul num tom escandalosamente irritante, não tanto pelo barulho mas mais pelo fumo que lhe saia pelas pestanas - E deixe-me que lhe diga, que já há muitos anos que não me lembrava de ter visto tamanha falta de educação!
- Isso compete-me a mim decidir senhor Raul Bacalhau, importa-se de chamar as visadas, para que eu as possa interrogar?
- Ah!  Ah pois claro que chamo! - Nisto, o senhor Raul solta um grito quase visceral, notavelmente feio e incrivelmente irritante, novamente por causa do fumo mas não propriamente pelo barulho: RAULINDA, TRAZ CÁ AS FILHAS!

Saíram todas, por um buraco muito pequeno, uma imensidão de corpos horrorosos e cheios de suor, notava-se claramente que tinham estado a chorar desde que o tal senhor muito mal educado as tinha ofendido. Tinham-se posto todas em linha, por ordem decrescente do lado esquerdo para o direito encostadas a uma parede cheia de latas sardinha vazias que estavam à venda, o negócio das latas de sardinha usadas era um negócio importantíssimo nesta parte da cidade.

- Bem, minhas queridas, sabem o nome do senhor?
- JUGÚSTAVO! - Lá estava aquele fumo e aquele barulho.. -
- E o segundo nome?
- NÃO SABEMOS!
- Não tinha segundo nome?
- NÃO SABEMOS! NÃO NOS DISSE!
- Senhor Bacalhau, se não se importa, prefiro falar consigo, esta fumarada irrita-me as orelhas e daquê pouco começo a tossir dentes que é uma coisa parva.
- Com toda a certeza!
- O Senhor Jugústavo não tinha segundo nome?
- Se tinha não nos disse.
- Sabe que, a verdade.. bem.. fiquei bastante intrigado quando fui assinalado para vir investigar uma queixa por má educação, porque, bem.. a verdade é que desde que me lembro de ter ganho o crachá de investigador nunca tinha ouvido falar um crime deste género porque no fundo, como bem sabe, isto é um crime e faz anos, anos.. que não havia um único crime nem neste lado da ponte, no entanto aqui estou eu.  - O Senhor bacalhau escutava-me com uma atenção incrível - Portanto Senhor Bacalhau deixe-me que lhe diga que..
- Sim! Sim! Ah sim! Por favor diga-me!
- O senhor Jugústavo realmente não é a meu ver, nenhum criminoso, nem me parece, sendo-lhe o mais honesto que o meu espírito me permite ser, mal educado ou mentiroso.
- Ui.. olhe que.. elá.. estou chocado.. não.. não estou a perceber onde quer chegar, o que quer dizer?
- Bem Senhor Raul Bacalhau, as suas filhas são, de facto, feias como a cornadura e eu vou ter que dar a investigação por encerrada porque se o senhor Jugústavo teve para consigo e para com a suas filhas alguma atitude a que o senhor não esteja habituado foi sinceridade.

Sem comentários: