sexta-feira

é com sentido, é com sentido todos aqueles aspectos que pensávamos ser negativos acabam por fluir e desaparecer com o nosso esforço, com aquela nossa ideia de que amanhã será um dia melhor. mas hoje ainda temos tempo para pensar, para decidir, fazer continuar a lutar por um amanhã melhor. não percas tempo meu amor, a dúvida nunca será só tua enquanto me quiseres a teu lado, eu quero lutar por ti, quero lutar por nós, acreditas ou não mas quero cantar, apetece-me. eu sei que não sei cantar mas no fundo que importa isso? não importa, nem interessa desde que o segundo seja nosso.

aqui sentado a pensar nas reminiscências do passado apercebo-me de que assim não consigo encarar o presente nem preparar-me para o futuro. oh, my, fucking god que fucking poético. mas nada faz, nada resolve, o que procuro é sustentar a nossa felicidade, conseguir criar uma plataforma que te permita sorrir sem qualquer tipo de esforço mas com vontade. gosto tanto de te ver a sorrir. detesto o teu sorriso forçado. tudo o que mais quero é ver-te a sorrir. 

não te preocupes comigo pois não haverá nunca nenhum esforço enquanto conseguir manter-me acordado que me demova do teu sorriso. eu não sofro porque eu não posso sofrer, isso agora não existe. eu não me prendo, eu não me afasto, eu corro e vou, eu agacho-me eu grito e eu revolto-me mas eu não posso sofrer, nada me pode atingir, nada é mais forte do que o que quero para ti meu amor, I love you baby, por mais piroso que possa ser é a única verdade. 

tudo bem. não sou perfeito. mas grito. e não vou parar de gritar nem que a voz me doa, vou gritar até que te apercebas de tudo o que te quero dar. leva tudo o que quiseres de mim. leva o rim, leva a perna, leva o peito, leva o quiseres. tantas vezes te perguntei, o que esperas de mim? nada. secalhar sou apenas metade do homem que julgo ser. 

eu não sei mexer nas cordas de uma viola e esse facto deixa-me desamparado. mas será pedir muito que te encostes a mim quando tudo parece dificil e nos deixemos apenas levar pelo silêncio de estarmos juntos?

durante algum tempo tive medo de perder um pouco daquele que fui, sinceramente ainda tenho algum medo de ter deixado para trás demasiado de mim, de ter recalcado demais de mim demasiado fundo. hoje, não tenho mais esse medo. acredito, sinceramente, que só me vou conseguir voltar a encontrar se estiveres a meu lado.

mas eu sei que se voltar a ser quem era deixo-te triste e por isso, prefiro ser alguém diferente e ver-te feliz, do que encontrar-me e ver-te a esboçares um sorriso esforçado.