sexta-feira

não é nem nunca será mais do que um.. mais do que um nada, bardamerda para isto. mais um cigarrinho mais uma beata que se arma em carapau de corrida... e ris-te, ris-te que nem um parvo porque não te apetece fazer mais nada. e é desse nada meu rapaz que vai nascer, florescer, aquelas ânsias pelas quais tanto anseias e mais uma vez, agora sem mero acaso algum não consegues parar mesmo de rir, torna-se mesmo insuportável ao ponto de te começares a cortar por não conseguires suportar o barulho estridente do teu riso parvo, estúpido, simplesmente otário e tens então uma visão em que te vês a ti mesmo, sozinho num quarto em que o tecto está pintado de um azul esverdeado, as paredes cobertas de um papel de parede com um padrão aos quadrados e todo o quarto está repleto de quadrados azuis e cinzentos divididos por uma pequena linha preta, o chão é de tijolo e tu achas estranho o chão ser de tijolo porque lembras-te que quando aterraste no quarto depois de teres caído do candeeiro em forma de ovo pareceu-te teres caído em cima de um monte de almofadas de seda cheias até à boca de penas de papagaios, olhas à volta em busca de um ponto de referência que acenda uma luzinha no teu cérebro para tentares perceber onde estás e isso faz com que penses mas o que pensas é refletido como se a tua cabeça estivesse oca e os teus pensamentos ecoassem lá dentro e tu assustado com essa ideia começas a fritar, começam a passar-te pela cabeça toda uma imensidão de ideias parvas que no fundo fazem imenso sentido mas que não te ajudam em nada porque continuas sem saber onde estás ou porquê e começas a ouvir algo a estalar e rapidamente percebes que és tu que estás a estalar, é a tua cabeça que está a estalar quando reparas que a tua orelha caiu e se partiu em mil bocados como aquela jarro de porcelana que partiste à tua avó quando tentaste roubar o frasco de mel e tu não sabes porquê mas sentes uma necessidade súbita de te atirares para o ar e caires no chão e é isso que fazes e o que acontece é que ficas espalhado pelo quarto todo, acabaste de te partir em mil milhões de biliões de bocados chavalo, estás completamente partido, todo fodido, estás louco estás maluco estás passado tu estás a dar cabo de tudo em ti tu estás meu deus tu estás completamente fora de ti de alegria, e por esses mil milhões e biliões de bocados de ti começa a efervescer alegria uma alegria que só te lembravas dela como um sentimento que sentiste quando eras pequeno, sabias que a tinhas sentido mas não te lembravas do seu sabor e é um sentimento tão doce, as saudades começam a apertar e começas a chorar começam a cair do tecto lágrimas de porcelana que se estilhaçam em mil milhões de biliões de bocados assim que tocam no chão de tijolo no meio de tantos choros e de tantos estilhaços o barulho começa a tornar-se ensurdecedor e começas a gritar e das janelas saltam os gritos e começas a espernear e a esbrecejar e todo o quarto se mexe como se fosse um átomo, um simples átomo tranquilo, calmo e sossegado e com essa ideia começas a adormecer ao mesmo tempo que começa a despertar em ti a ideia de que não és mais do que uma possibilidade e o que te assusta não é viver. vais viver e vais morrer.

domingo

Não vou cá escrever nada pseudo-épico. Só me apetece estar aqui sozinho a escrever qualquer coisinha, tinha saudades de escrever embora não saiba bem o que dizer. Não dá vontade de gritar? Dá sim, não abanes já a cabeça. O melhor é que aprendi, errei, acendi mais um cigarro e voltei a errar. Não sei se é mais fácil morrer ou viver. Como será morrer?

quinta-feira


tu sabes a ilusão que és e a ilusão que me dás. mais do que tudo sabes bem que nada do que temos ou do que somos é uma ilusão. é uma realidade tão nossa mas que deve ser partilhada com os outros porque apesar de termos criado um mundo próprio onde proliferam determinadas noções que aos nossos olhos são básicas mas aos olhos dos outros são complicadas, compete-nos, a nós meu Amor, aprender a viver com tudo o que está à nossa volta e não apenas com aquilo que julgamos ser real.

tu és tão bela. tu não fazes ideia da beleza que ostentas, tu não fazes ideia do valor que tens para mim pois não? mais do que tudo és tudo e um pouco mais, és tudo e mais um bocado, mais um bocado enorme. não se pode apenas viver de tudo, temos de viver de mais alguma coisa e tu trouxeste-me, tu deste-me essa coisa a mais, tu deste-me tudo e alguma coisa mais. será demais dizer que és tu e só tu o ar que respiro? será demais dizer que és tu e só tu que me tira a sede? ah e se tenho sede! quero-te mais! será demais dizer que és tudo o que quero?

não me julgues tanto. não me odeies tanto, não ouses, por favor, não ouses nunca mais dizer que já chega, porque não não chega e nunca vai chegar porque nenhum segundo contigo é a mais, nenhum minuto contigo chega, não será a eternidade que vai chegar. portanto não ouses dizer nunca mais que já chega, não, não chega! se um dia o fim chegar será o principio que começou outra vez. amo-te.

“Realizou-se o meu antigo sonho de voar. Vogo, imponderável, num meio invisível; sem custo deslizo acima de uma região cheia de sol. No entanto, não avanço de barriga espetada, cabeça erguida, como crê dever fazer o homem na sua pretensão filistina de dignidade. Prefiro a atitude dos vertebrados, consagrada por tradições milenárias: tenho as costas voltadas para o céu e a cabeça para a frente. Quando quero olhar diante de mim, a posição dolorosa do meu pescoço erguido lembra-me que sou, na verdade, um habitante de outro mundo.”

- Konrad Lorenz, A Agressão

domingo

Estou farto de escrever mas sinceramente não me apetece fazer mais nada. Bem do que vamos falar hoje?
Por vezes não demonstro vontade não demonstro força para continuar, tomei por garantido algo que pelos vistos não é certo que pode ser tão depressa verdade hoje como mentira amanhã.
Ela diz-me que o que sinto agora posso sentir amanhã por qualquer outra pessoa, eu já lhe tentei dizer que isso só irá acontecer se eu demonstrasse uma predisposição para que isso acontecesse. Ou seja. Estou com uma pessoa, quero estar com essa pessoa, AMO ESSA PESSOA, só quero abraços daquela pessoa, só quero beijos daquela pessoa, só quero um olhar, um sorriso daquela pessoa, não quero mais pessoa nenhuma porque gosto daquela pessoa, porque me sinto bem com aquela pessoa, logo, não sinto necessidade alguma em procurar o que quer que seja porque já encontrei tudo o que preciso em ti, não percebes?

sexta-feira

TU ESTÁS MASÉ MALUCO. AH. MALUCOS NÃO SÃO OS QUE NÃO AJEM MALUCOS SÃO OS QUE NÃO FAZEM. NÃO SEJAS ASSIM PARA TI. ESCREVE ATÉ QUE DOAM AS MÃES DAS UNHAS. TU NÃO QUERES PARAR, TU NÃO SABES PARAR, TU NUNCA QUISESTE CONTINUAR MAS AGORA NÃO PODES PARAR. SABES BEM QUE VAIS CONSEGUIR, SABES BEM QUE QUERES, SABES BEM QUE VAIS QUERER, SABES BEM QUE JÁ NADA IMPORTA QUE JÁ TUDO IMPORTOU, SABES BEM QUE JÁ NADA QUERES QUE JÁ TUDO QUISESTE, AGORA O QUE TE RESTA É AMAR, SERES MELHOR, SERES ALGUÉM, CONSEGUIRES DARES A QUEM O QUE MAIS PRECISA, O APOIO O CARINHO O AMOR O OLHAR O ABRAÇO O ROSTO A FACE O BRAÇO, TU SÓ NÃO QUERERÁS SE JÁ NÃO PUDERES, TU SÓ NÃO QUERERÁS SE NÃO QUISERES, MAS TU QUERES E TU PODES, TU QUERES E TU PODES, VAI EM FRENTE FAZ-TE HOMEM TORNA-TE HOMEM, TORNA-TE QUEM TU QUISERES POIS DE TI PARTE A VONTADE DE TI PARTE A GARRA O SENTIMENTO A ILUSÃO O PODER A VONTADE A ILUSÃO O SENTIMENTO O PODER O QUERER O AMAR A GARRA A FORÇA O BATER DAS ASAS AO SOM DO TEU PEITO, O BATER DO TEU CORAÇÃO AO SOM DAS ASAS DELA, DA FORÇA QUE DELA VEM, DAQUILO QUE DELA VEM, AQUILO QUE TU QUERES PODE BEM NÃO SER AQUILO QUE TU PRECISAS MAS SERÁ CERTAMENTE AQUILO QUE TE FARÁ MAIS FELIZ, NÃO É INFELIZ QUE TE ENCONTRAS NÃO É PERDIDO NEM AMARGURADO, NÃO É FARTO NEM É SATURADO, É SÓ O QUE TU QUISERES SE ASSIM O QUISERES QUANDO QUISERES PORQUE É DE TI QUE VEM A FORÇA A GARRA O PODER O SENTIMENTO A ILUSÃO O SABER O SABOR A IGNORÂNCIA DE NÃO QUERER SABER MAS TU FAZES POR QUERER, TU QUERES PORQUE SABES QUE QUERES QUERER, E TU BEM SABES O QUANTO QUERES VIVER.

terça-feira

mais um copo, mais um olhar, mais uma noite perdida.

mais um corpo, mais um sentimento, mais um copo partido.

mais mais mais mais mais, gritas por ti, gritas por ti gritas tudo, gritas demais.

mais um copo, mais um olhar, mais uma noite perdida.

mais um corpo suado, mais um olhar apagado, mais uma cara de apaixonado.

mais mais mais mais mais e mais, queres sempre mais, queres sempre tudo, não tens nada.

mais um copo, mais um olhar, mais uma noite perdida.

fosga-se. ridiculo até mais não. mais um copo, mais um olhar.

estás desencontrado. desenquadrado. já tens tudo.

quarta-feira

torna-se cada vez mais difícil não atropelar ninguém com esta maneira de ser, porém, torna-se cada vez mais difícil esperar por alguém disposto a perceber que se é assim que está é assim que fica. ficas especado a observar atentamente aquela parede à espera que se mexa para tu puderes passar, olhando para trás tudo parece tão ridículo, tão fora do que era suposto ter sido. agora mexe-te.

terça-feira

Éticos

A ética é a faculdade que o homem tem em agir de forma correcta em todas as circunstâncias assumindo a responsabilidade pelas repercussões que os seus actos possam ter perante os demais intervenientes, seja as suas acções tomadas perante os amigos, a família, o patronato ou a comunidade.

Uma pessoa que actue de uma maneira ética tem que ter em conta que a liberdade dos seus actos reflecte-se na responsabilidade que vai assumir por eles, segundo Sartre, a liberdade ou é absoluta ou não existe, logo, deduz-se, que agindo de maneira livre o homem deve agir segundo a sua vontade, no entanto sem que com isso usurpe a liberdade de outro ou que os seus actos sejam maléficos, na medida em que a forma correcta de actuar perante a sociedade e por si próprio, deverá ser na procura do bem não só para o próprio mas também para o colectivo, porque agindo uma pessoa com essa consciência, saberá que, na altura em que tomou devida acção tomou-a com as melhores intenções, portanto, se dessa acção resultar um erro ou um fracasso o próprio será imputado de responsabilidades, não porque agiu em bem, mas porque com toda a sua força procurou fazer o melhor que podia por si e pelos demais.

Nos negócios, como nas demais transacções efectuadas entre dois pontos, assume-se do principio que exista um sentido ético por trás dessa mesma transacção na medida em que, ambos os intervenientes, assumam que os compromissos propostos sejam honrados e cumpridos.

A ética deveria - a meu ver - ser encarada como mais um sentido tal qual como a visão ou o olfacto, deveria ser incutido na educação de cada cidadão desde tenra idade, pelos pais e pelas instituições de ensino, do primário ao superior, deveria ser uma disciplina obrigatória como a língua mãe de cada país. Acredito que existindo vontade por parte dos governantes, seria uma boa ideia para se pôr em prática, faz muita falta sentido ético na sociedade, porque por muito que os pais ou as instituições de ensino procurem enraizar um sentido ético para a vida, a sociedade em si, produz no homem uma aculturalização que pode ir ao desencontro do sentido ético que o homem enquanto pessoa necessita para crescer e tornar-se num cidadão com um sentido ético apurado e necessariamente útil para o bom funcionamento da sua comunidade, da sociedade, fazendo com que produza laços familiares mais fortes, e consequentemente, tornando-se num trabalhador mais preparado para contrariar as adversidades do mercado de trabalho.

segunda-feira

Não é verdade que não sabes, a verdade é que não queres saber, e andas por aqui a fingir que sabes. Não resulta. Epá não resulta, ponto final. A partir de que momento é que achaste que podias fazer o que querias? Nada disto é verdade, apenas pareceu certo aparecer escrito, nunca te o disse porque sinceramente é mentira, nunca tive precisão de o dizer, nunca o fizeste, não é assim tão fácil ser amado, por tudo o que se passou parece-me ser mais fácil amar. Ser amado exige muito de nós, exige que sejamos coerentes, muito fiéis aquela imagem que mostrámos quando no principio tivemos medo de mostrar quem realmente éramos, e agora? 
Agora apaga-se e volta-se a escrever, se fosse tudo assim tão fácil como pegar uma borracha e apagar o que não gostamos, mas clichés à parte, não é, não senhor não é assim tão fácil, portanto compete-nos assumir as decisões e as posturas que tomámos.
A partir do momento em que agi com perfeita consciência da liberdade de que sou dono, tenho também que assumir as responsabilidades que adoptei nessa mesma altura, ora, eu sei quem sou, sempre soube quem era e para onde queria ir, não fazia ideia era de a maneira como sou ia acabar por fazer tanto estrago.
Sempre pensei que fosse diferente, mais, impecável, mas depressa apercebi-me que quando comecei a tentar mostrar-te alguém que não era para que gostasses mais de mim, para te sentisses mais segura, mais confortável comigo, criei um padrão que mais tarde não consegui suportar, e isso nota-se agora, eu vi que sou capaz de te mostrar que te amo, mas sinto que nunca fui capaz de te deixar que me amasses à tua maneira.
Quis-te mostrar um mundo que não era mundo algum, era uma realidade distorcida, uma fantasia endiabrada de beijos, amor, abraços, caricias, tudo tudo tudo tudo, e agora parece que nada serve, nada resulta, nada é suficiente, nada chega, nada nunca é tudo e tudo nunca parece ser nada, é um sufoco tentar, tentar chegar lá aquele sitio que te mostrei ser capaz de atingir e acabar sempre por cair quase quase lá em cima, é uma sensação de insegurança tão grande pá, é uma dor tão angustiante, porque eu sei que já lá estive, mas agora parece que não encontro forças para lá chegar outra vez.

E agora que fazemos? Pois, nada. Ouvimos Ornatos.

"Foi como entrar, Foi como arder, Para ti nem foi viver, Foi mudar o mundo, Sem pensar em mim, Mas o tempo até passou"

E assim foi, pensei tanto em ti, pensei tanto no que podíamos ser juntos, naquela ideia de amor eterno que agora carece de vontade, foi mesmo como arder, foi mesmo como querer respirar e não conseguir, foi mesmo como foi, e agora já está. Agora é altura de encararmos os erros que ambos cometemos e tentar perceber onde é que errámos sem nos apercebermos, porque embora eu acredite que conheço os erros que cometi bem sei que na tua cabeça cometi muitos mais e vice-versa.
O tempo não passou simplesmente por dá cá aquela palha, o tempo passou da maneira que nós quisemos que passasse, passou à nossa maneira, tempo esse que não vamos voltar a recuperar mas que podemos tentar arranjar uma maneira de tentar transformá-lo num tempo melhor.
Mas, isso seria enganar-nos a nós próprias, seria o equivalente a pegar numa mão-cheia de areia e esfregar nos olhos de cada um, tivemos tempo para mudar na altura devida mas ninguém teve a coragem de o fazer, ninguém assumiu a responsabilidade pelo que estava a acontecer e limitar-nos a atirar as culpas para cima um do outro.

E agora que fazemos? Pois, nada. Ouvimos Ornatos.

"O que eu quis mostrar ao mundo, Era tão forte e tão profundo, Eu quase me afoguei na emoção"

quinta-feira

"Pela sua importância, a Ética não deve ser encarada como um recurso ou um instrumento secundário ou secundarizável para as profissões, mas antes como um recurso essencial e de imprescindível valor, condutor do desenvolvimento profissional, individual e colectivo, económico e social, constituindo-se como um elemento diferenciador da imagem e das práticas económicas junto dos restantes profissionais."

- Pedro Fernandes Anunciação e João Rocha Santos


"Business ethics should eliminate exploitation, from the sweat shop children who are making sneakers to the coffee serving staff who are being ripped off in wages."

- Garry Crysta
l (link)


"When some stakeholders profit at the expense of other stakeholders a contradiction of business ethics arises in that maximizing profit appears to encourage greed, rather than prudence, bringing into question whether even the interest of the business in served in the long term."

- Kenneth W. Michael Wills
(link)

domingo

funny funny man





FAZIA TEMPO QUE NÃO METIA UMA IMAGEM NO BLOG!! AH E TEM UM VIDEO!! AH!!

se eu tivesse que ser alguma coisa era um caracol, lá vai ele vagarosamente, às vezes quando olho para um pergunto-me para onde vai, já por várias vezes lhe quis perguntar mas o gajo parecia sempre tão empenhado em seguir um destino, um trajecto já definido que não o quis chatear. bem, pois, mas era assim que eu gostava de ser, de me empenhar numa ideia, num projecto, num trajecto (já perceberam) e seguir em direcção a esse objectivo, faça chuva, vento, muito vento, muito sol, apareçam muros, tempestades, altos, OH MEU DEUS UMA COVA NA AREIA SUPER INESPERADA, são um exemplo estes bichos, nada os demove, e acreditem ou não, e digo isto por experiência própria, são uns óptimos amigos.

obrigado Caracol!

quarta-feira

epá mas que coisa esta, não sabes que aqui não se oferecem cheiros? não procures a tua identidade em links azuis ou coisinhas que te possam interessar em jornais e blogues alternativos que te façam festinhas na cabeça enquanto te enfiam cenas pelos olhos, olha, senta-te à mesa, bebe aquela bebida que não gostas, não te importes com isso, não é sentado de olhos abertos que vais crescer, talvez seja de pé mas de olhos fechados, não esperes que a guerra acabe, não comeces nenhuma guerra, não te tornes num soldado, pega no megafone despe-te e grita por liberdade, haverá algo mais bonito do que apenas tu e a tua barba, ou teu bruto moustage, chavalo pega num cavalo, chavalo corre os doors já acabaram, chavalo mantém-te atento, procura viver onde não sabes, não é ilusão, não te estou a tentar ensinar nada, não empino o nariz, não te tento orientar, mas é tudo tão fixe, olha, tal e qual como os passos que não tinham um baixo, pegaram em três guitarras e lá foram eles caminhando em direcção a eles próprios, cliché, é o maior cliché, isto são textos clichés, manda tudo à merda, reaproxima-te, não cries barreiras, não inventes desculpas, o caminho é para a frente, portas abertas, atira-te da janela, corta-te um bocadinho, aprende a sofrer e a viver, nada está fechado, tens mãozinhas, mano, tu tens maozinhas, bebe muita água, refresca-te, se calhar às vezes custa, achas que estás a sobreviver, e isso não chega? chega sim, pois sim claro que sim, pega numa letra bonita, grita meu, arrebenta, comunica, eles escutam, nada se perde, nada se desperdiça, não tenhas medo, sabes que às vezes quando te sentes frustrado não significa que estejas acabado, sabes que não sou teu pai, primo ou irmão, sabes bem que não te sou nada, mal te conheço, mas ouvi-te e gostava de aprender contigo, vem comigo para lá, vamos passar por aquele sitio outra vez, não te crispes, é chavalo, chavalita, bonita bonita, não te crispes, não fiz por mal, nem sei o que fiz, está feito, agora vamos em frente, pegar no tal megafone, vem comigo e brilhamos os dois, opa não te parece fixe? não te sabe bem quando te enganas na rua e encontras uma cena mesmo fixe? a vida é feita de cenas erradas, de enganos, aprende-se com isso por mais cliché que seja, bora lá então variar, bora lá então para a rua gritar, tocar musiquinha boa, mas não exageres, criemos a cena, a nossa cena, faremos que as nossas vibes se ouçam, nem importa ao que soem, bora lá pá, não faças essa cara, chega de lágrimas e cordeis, quero andar de escorrega contigo. vem e ouve-me, vem e empurra-me, dá-me um biqueiro, acende-me o cigarro, acorda maldisposta.

Várias coisas por se dizer

1 - Já sei que não sei escrever, por isso parem de me enviar emails a ameaçarem-me de porrada!

2 - Não sou obrigado a saber escrever, não está escrito no acordo quando se abre um blog no blogger!

3 - Eu sei que não sou a pessoa mais bonita do mundo, mas já chega de emails a dizer que sou a pessoa mais feia do mundo!

4 - Eu gosto de inventar, sou um inventador.

5 - O meu email mudou. FU.

6 - Eu gosto pouco de coisas que não sei o que são por isso é que quando não sei que coisas são fico calado e tento aprender sobre essas coisas em vez de meter vírgulas, e para que se saiba não gosto de parágrafos.

7 - Sete.

Obrigado. (já sei que tenho da mania que sou engraçado, sorry lá)
café, cafézinho, tu que me acordas nestas noites, onde me sinto enclausarado, sou um escravo desta economia, vivo assim fechado durante as noites e durmo durante o dia, não que seja triste, é pior, quem se lembrou de tal abominação? certamente será parente do dantas, esse que não sabia escrever, esse que não sabia tossir, esse que pouco mais sabia fazer do que respirar, mas vá lá, por vénia do destino morreu feliz, como só ele, na sua dantice o fazia tão bem. mas voltando a ti meu café, cafézinho, tu que me acordas nestas noites em que me sinto escritor, mas mais não sou do que um pobre portador destas palavras sem sentido, abismais, que terror, mas és tu meu café, meu cafézinho, que me dás alento e pregos nos olhos para que possa continuar acordado, nestas noites em que me sinto escritor. 
que triste é estar fechado, sei eu, por mérito próprio, que gira à minha volta todo um mundo, e eu aqui fechado, sei eu, por mérito próprio, que só assim me posso dar ao luxo de puder escrever, ter tempo para escrever é do mais belo que pode haver, oh, e tanto valor dou a esse tempo em que sou apenas eu e mais algumas letras, nestas palavras que a nada soam, nestas palavras que a mais ninguém trazem conforto, só a mim, porque é assim que sou, um escritor que não sabe que não o é, e não sou, limito-me a divagar por ideias pouco esclarecidas e penso que já sei tudo, mas nada sei, oh café, cafézinho, és tu que nestas noites, com esse teu sabor a café que me mantêm acordado nestas noites em que nada sou do que um refém do tempo, de que nada sou do que um refém destas ideias parvas, mas alto! alto lá! tenho ideais e vivo para os manter, certos ou errados são meus e tenho que aprender a defendê-los, mas oh, alto! alto lá! embora ninguém me tenha ensinado eu gosto de os manter, assim, meus, pequenos, mas meus, assim, tal e qual como nascem é da maneira que os mantenho, simples mas certos. sabes, podes não saber, mas é em ti em quem eu penso. agora ai, com essa veia a ser fustigada pelo soro, se soubesses o quanto te amo, se soubesses o que sinto por ti, acredita que não sabes, embora me conheças, embora já saibas como sou, embora aches que sabes o que sinto por ti a verdade é que não sabes, a verdade é que tudo o que sou não é mais do que uma parte de ti, sabes.. eu gosto muito de ti. gosto mesmo. acredita quando te digo, os meus olhos azuis não te mentem, podem tentar proteger o que temos, mas mentir não, isso é feio, isso em mim não cabe isso e mim não serve e luto cada dia que essa realidade se torne uma verdade incontornável, pois eu Amo-te, e tens que saber, tens que ter noção e tens que ter como garantido que nunca te vou abandonar, nunca te vou largar num canto a sufocar, o meu coração não está dentro de uma caixa, nem quero que o teu esteja, o meu coração está ao teu dispôr, sou eu assim um bocadinho de ti, não há caminho que eu possa fazer em que, sem que dê um passo, não pense em ti, não tenho três pensamentos sem que pelo menos dois deles tenham algo de ti, é de ti que gosto, és tu quem eu Amo, é contigo que eu quero ficar, é contigo que me sinto bem, sabes?
mas voltando a teu meu café, cafézinho, cá estás tu neste corpo a fazer efeito, não te vás porque bem preciso de ti a par de uma bela dose de tabaco, tudo isto é verdadeiro, tudo isto sou eu, meio estrambulhado, meio atrofiado, meio, sei lá, resguardado talvez não seja a melhor palavra, porventura nem sei do que falo, porventura nem sei porque estou a escrever, porventura nem sei o que cá estou a fazer, pensando bem não sei mesmo, sei que é nos teus braços que me sinto bem, óptimo, é na tua companhia que me sinto resguardado, oh, abraça-me, beija-me e Ama-me.