segunda-feira

O que se quer de alguém que não sabe perder, alguém que no fundo é amor quando tudo o que fazes é crer, sentirás tu também dor ou apenas amas por prazer? E que mal tem amar por prazer? Tenho tantos dias para procurar respostas a tantas perguntas que aparecem sem querer, mas é hoje que procuro resolver o que julgo não saber, canto o que pensas porque me sinto capaz de fazer, tenho justificado a paixão, tenho justificado a ilusão, o tremor, o pavor, oh minha querida, nada do que somos parecerá finito, somos mais dois e acredita que justificado o meu amor te garanto que só a ti te quero adorar. Aflige-me a forma como se dispara, de olhos abertos sem remorsos, diz-se que é o mundo que temos mas fomos nós que o fizemos assim, em compensação quando se encontra tamanha emoção é o delírio, o caos, o bom caos, tanto se fala do bater de asas das borboletas e no fundo tão pouco se faz por esse prazer, angustiado puxei para o lado a sensação de que já não ia conseguir voar, se eu te conseguisse descrever a sensação quando comecei a pairar. É nos beijos que me dás que sinto comparável emoção, não julgues que nos procuro comparar, eu sei que somos amantes.

Amo-te,

Sem comentários: