terça-feira

É assim

Comecei a fumar demasiado novo, e ainda não aprendi a apagar os cigarros. Lá ficam eles acesos no cinzeiro para toda a gente apanhar com aquela baforada de fumo nojenta que vai comendo e queimando lentamente o filtro até o cheiro se tornar insuportável e alguém dizer "Foda-se Pedro, aprende lá a apagar cigarros!" - e eu muito intransigentemente respondo com toda a minha falta de classe acentuada pela falta de estudos e poucos dentes enquanto solto uma légua e meia de cuspo: "NÃO!"

Não gosto que o corrector ortográfico me transforme tão belas palavras como Foda-se, em roda, mas que merda é esta? Fode-te corrector ortográfico mais a tua mãe que provavelmente é uma virgula corcunda (ah! ah! gotcha ya!) - bitch ^^

Quem vem ao blog, provavelmente achará, pensará, "uau, este texto não é.. sei lá, normal" - pois não, mas o prazer é o mesmo. Esperanças estas que se perdem quando tudo parecia formar-se de uma maneira tão uniforme, mas a alma e a paixão das letras transformou-se em algo lesto e muito provavelmente dedicado a uma caça às bruxas, onde se troca a bruxa por um ponto final e as chamas que a consomem por uma baforada de filtro queimado. Haverá bela sem senão? Não, pois eu também nunca pretendi ser belo ou tão pouco um senão, talvez um enfim, mas nunca um abismo incapaz de ser escalado ou apreciado, sempre tão triste e embalado por estórias às vezes sem nexo que a ninguém seriam capazes de atingir, mas depois entra a regra de que a cada um e a cada qual cada situação atinge e afecta de maneira diferente tendo em conta toda uma série de factores - adversos ou não - no desenrolar da situação, e eu limitei-me a tentar descreve-los, tendo em conta que os vivi e que invariavelmente vou acabar por voltar a vive-los (espero eu), acredito na máxima de que sem dor não se consegue apreciar o amor.

Passei anos a procurar imaginar a mulher que queria ter a meu lado, encontrei-a e mais uma vez a realidade superou a ficção, por muito que te tenha imaginado nunca esperei ter a sorte de ter encontrado alguém como tu.

Amo-te, o resto fica para depois, por agora, é isto.

Sem comentários: