segunda-feira

uff!

haveria de estar agora aqui, fazia tempo que já assim não sentia, tanto que se disse e ficou por dizer e numa letra tão bem esgalhada ficou tudo tão claro. agora tudo tão claro, claro como a claridade que tudo claro torna e entretanto fica, uma clareza de pensamentos e ideias, faças o que faças, é só nosso este pequeno desejo mais do que um segredo, procuras tudo, e cliché dos clichés: nada encontras. que andarás a fazer se não, cliché dos clichés: procurar mal? que saberei eu de.. disto, de tudo, nada sei de nada e julgo saber de algo, que no fundo nem eu sei o que é, que misto de emoção, solta-se mais um palavrão e canto, canto por ti a pensar em ti, oh o romântico que ele está, mas nada disto é certo, ninguém assume que seja errado é impossível que seja errado sabendo tão certo, e sabe tão bem..
feito zombie caminho pelo mesmo corredor de sempre, o da falsa aparência do engano e da confusão, eu sei o que sinto e sei o que sentes, e arde! nada sei saber porque não me lembro sequer de estar a escrever, sai-me a ritmo demorado cada uma destas, sei lá, palavras sem sentido, amorfas, amo-te. não sei mais descrever, não sei mais arranjar maneira de descrever amor, amor amor, nada de amorfo, nada de vulgar, nada de cliché, nada de sedução ou aproximação, nada! nada nada nada, amo-te, e é isto meu amor, nesta imensidão de amor onde tudo é paixão, onde nada! nada! é ilusão, que eu sei que te amo meu amor, que querido o sorriso que esboço ao ver o céu a sorrir para mim, sei que pensas em mim e em todas as nuvens as tuas feições tornam-se reais, nada disto é ilusão meu amor, é amor amor amor, e eu amo-te meu amor.
ao toque, suave suave, ao suave toque de mais uma batida entra-me pelo ouvido e chega-me ao cérebro aquilo que julgo ser a razão dos meus pecados, a podridão do meu ser, eu saber que sou fraco de espirito. mas que horror, ódio, temor, peco, peco por ti meu amor! e tudo isto é amor. minha adorada, amada, se tu soubesses a tranquilidade que me trazes, o bem que me fazes sentir quando estou a teu lado, é por estas alturas que esboço mais um sorriso, solto mais um suspiro. e ela, com toda a sua loucura, diabrura, fortalece-me o espírito, e ela, com toda a sua loucura, diabrura, fortalece-me o espírito, e ela é amor, é amor, amo-te meu amor. e é deste sabor que eu sinto falta, sentia, tinha saudades paixão obrigada.

1 comentário:

Estrela disse...

da me essa formula de escrever textos!!! ja!