terça-feira

Sem Título

Escrevo isto enquanto oiço aquele tal bro que penso que percebe o que digo, foda-se que raio de mundo é este onde parece que tudo anda sem rumo? Aqueles risos de gozo vindos lá do fundo, ela não perdeu a noção sabe o que está a fazer e sabe que é errado, mas foda-se sabe tão bem. Toda a gente se diverte com a desgraça alheia, é fácil, porque não conseguimos sorrir com as conquistas alheias? Sentimo-nos inferiorizados ao ver outros alcançarem o que queríamos que fosse nosso, então tentamos destruir o que eles conquistaram. Seja de que maneira for, o que é deles mesmo que não seja nosso deles também não será, porque aqui o que importa não é a conquista é a sensação de vitória perante os outros. Quando nos esquecemos que quem importa somos nós? Que o importante é preocupar-nos connosco em vez de vivermos a olhar os outros? Que assunto tão cego mas tão certo, onde queremos chegar assim? Quem queremos ser? É isto? É isto que somos agora aquilo que realmente conseguimos ser? Todos estes complexos e dogmas sociais, todas estas nóias e bazófias infernais sem sentido mas sempre com dados colaterais, à toa? Foda-se é isto? Que digo.. fico sem palavras ao pensar, fico sem saber ao pensar, não sei o que dizer porque sinceramente pensei que fossemos melhor do que isto.
Criámos mentes degeneradas, mal construídas com ideias mal elaboradas, não conseguimos conter de formar aceitável a nossa fome por fome alheia, aquela ânsia de saber que os outros não têm o que nós possuímos, sendo nós os outros mas nunca os mesmos. Deixem-me eu ser eu, como eu quero ser, fora do vosso ambiente cuja mentalidade em nada me revejo, mas e as tais crianças? Mães à toa, sem noção da sua falta de sentido na educação daqueles que um dia lhes vão pedir dinheiro para tabaco e roubar dinheiro para smokings pretas, essas mães distraídas sem saída porque nunca souberam procurar uma entrada, de onde vieram estas mães? Estarão elas pré-destinadas a educar toda uma geração de forma errónea? Somos o fruto de uma má educação? Mas quem? Se quem governa hoje teve uma boa educação ontem, então foda-se.. estamos fodidos com esta nova fornalha de ideias vorazes e cruéis com sede de glória perante os outros onde a personificação do orgulho pessoal se esbarra na medida em que o que eu tenho tu não podes ter e o que tu tens, terei eu melhor, mas sempre, sempre, no sentido capitalista da coisa, materialista da coisa, no sentido negligente e em todo o sentido, mau da coisa. Que é feito daquelas ideias onde realmente, sem sombra de dúvida, ajudar o próximo é algo normal? Onde criar laços de esperança é algo normal? Onde um sorriso recém chegado chega para que a tarde tenha sido bem passada?
Não consigo compreender onde se foi buscar tanta raiva e intolerância, óbvio que ninguém nos percebe, estamos todos fodidos! E os danos que estamos a fazer hoje nunca os vamos admitir amanhã, seja, nunca vamos admitir que fizemos isto ou aquilo, seja, quando nos tocar a nós educar os nossos vamos fazer tudo igual ou pior, porque se a educação dos de hoje já foi má, a nossa foi pior e a de amanhã será ainda pior. Haverá esperança? Eu acredito que sim, conheço felizmente algumas pessoas que consigo ver que estão dispostas a mudar toda esta situação nefasta, sinto-me tranquilo ao saber isso porque tenho quase a certeza que os poucos bem educados de hoje trarão uma nova esperança para a próxima fornalha de mal-educados de amanhã. Começo a tomar consciência ou então foi a consciência que se encostou a mim, não sei, mas cansa-me e fustiga-me não saber que ideias ai vêm, porque as que tenho visto assustam-me. Ninguém se apercebe, no fundo ninguém quer saber porque no fundo ninguém sabe, estão todos tão embutidos na sua vida pré-feita, na sua sociedade pré-feita, com as suas ideias pré-feitas que não se dão ao trabalho de ir procurar algo mais, claro que não, estamos tão bem assim.
Existem boas ideias, sem dúvida, eu penso que existe é uma má junção de ideais. A minha ideia é a seguinte: um ambiente cria uma mentalidade, uma mentalidade é uma junção de ideias, boas ou más, incutidas num ambiente a propagação será inequivocamente passada de cabeça em cabeça até que se torne num ideal comum desapercebido por todos, defendem uma ideia mas não sabem onde a foram buscar, nem se lembram a partir de que momento começaram a pensar ou a agir de uma determinada maneira, sabem apenas que são assim. Entra o ambiente em acção, e o que temos hoje em demasia? Inveja, traição, rancor, falta de senso comum e ignorância, necessidade de ver o estado dos outros cair em desgraça, apontar para o poço que ajudámos a cavar enquanto nos rimos de quem lá se enterra, desgraçados. Caíram em desgraça sem se aperceber, foram levados por uma maré que lhes parecia confortável porque era assim que se sentiam adaptados e amados, confundiram emoções e sentimentos, em estado de negação aprenderam a odiar porque é fácil, puseram o amor de lado porque é fácil, aperceberam-se que é mais fácil apontar do que ajudar, caíram na tentação de não fazer nada porque já está tudo feito, deixaram-se ficar na mediocridade, pararam para olhar mas não para pensar, mais uma vez deixaram-se ficar na mediocridade, pararam, basicamente foi isso.
Tanta ideia gira, tanta gente gira, tanto sitio por onde ir sem nunca seguir, pensar em amar sem nunca pedir, é tão fácil gostar e compreender, a compreensão é uma arma que só os tolos menosprezam, que almas são estas, porque sofrimento passaram para hoje tanto quererem ver os outros sofrer? Façam-se gente, criem laços e amor, criem amizades, criem minutos que se possa falar durante horas, criem momentos que se possam falar durante dias, apreciem o que têm sabendo que o que é vosso chega, para que precisamos nós das jóias de outrem sabendo que um dia poderemos estar no coração de alguém?

1 comentário:

Estrela disse...

"Sentimo-nos inferiorizados ao ver outros alcançarem o que queríamos que fosse nosso, então tentamos destruir o que eles conquistaram. Seja de que maneira for, o que é deles mesmo que não seja nosso deles também não será, porque aqui o que importa não é a conquista é a sensação de vitória perante os outros."

é super natural o sentimento competitivo do Homem, o querer ser melhor, mais feliz... mas algo que aprendemos ao longo da vida e das nossas experiencias, pelo menos eu aprendi, é que cobiçar os outros nao nos torna mais felizes; cobiçar os bens dos outros nao nos torna mais felizes. O que torna alguém feliz penso que seja a sensação de alcançar algo que queriamos com esforço e partilha-lo com quem mais gostamos.
Uns têm muito, material ou emocional, outros nao têm nada.. é injusto mas é preferivel alcançar o mundo merecendo-o do que toma-lo como grantido.



"Que é feito daquelas ideias onde realmente, sem sombra de dúvida, ajudar o próximo é algo normal? Onde criar laços de esperança é algo normal? Onde um sorriso recém chegado chega para que a tarde tenha sido bem passada?"


A mudança de pequenas coisas, mentalidades, ideologias, ambientes passa também por nós. É prioritaario mudarmo-nos a nos, e o que nos rodeia para nos sentirmos melhor, e sentirmos que decerta forma (por minima que seja) contribuimos para um mundo melhor. É facil dizer que tudo é errado, todos fazemos isso.. mas os verdadeiros cultos e civicos nao sao aqueles que falam, mas sim aqueles que fazem algo, dizem ou agem, de acordo com o que acham correcto. O que é correcto? para isso já é preciso ter senso comum.. poucos o têm...


queria comentar o resto, mas falas te de tanta coisa diferente! bem, precebo-te, precebo o teu texto e so sublinhas muitas verdades. ~
A mentalidade é influenciada pelo ambiente, mas tambem pela nossa personalidade.. nao somos tolos, hj em dia temos é muita gente a pensar por nos. mas como ja disse, se mudarmos o que esta a nossa volta nem que seja so a nos mesmos e tudo tao melhor!

Acho que por vezes as pessoas cumentem erros, têm maneiras más de pensar secalhar numa tentativa de se integrarem..
Todos os comportamentos têm algo de profundo, algum motivo que os fez acontecer... nao cabe a ninguem julgar os comportamentos ou pensamentos de ninguem.. apenas percebe-los e por vezes ajuda-los.


"para que precisamos nós das jóias de outrem sabendo que um dia poderemos estar no coração de alguém?"

Adorei!
Por muito que tenhamos o que os outros têm e nos cobiçamos, nao seremos felizes, a nao ser que tenhamos alguem com quem partilhar.


beijinhos*