quarta-feira

Toque no ombro

Faz tempo que não te digo algo que normalmente fazia questão te de o dizer todos os dias. Talvez, pelo simples acaso me tenha esquecido do que te dizia, talvez apenas, na verdade não tenho a certeza.
Isto vem ao propósito de hoje ao acordar, ter olhado para ti agarrada à almofada e notava-se que estavas a sonhar, não sei bem como mas notava-se, tinhas um sorriso de orelha a orelha e no entanto tinhas chegado a casa à duas horas estafada do trabalho, e foi ai que me lembrei que havia algo por dizer.
Levanto-me da cama e vou tomar um duche, abro a torneira de água quente deixo correr um pouquinho e quando noto que está quente, abro um bocadinho a água fria, atiro os boxers para o chão e enfio-me debaixo do chuveiro. Deixo a água correr pelo corpo ainda meio adormecido e não consigo deixar de pensar que falta algo, que ando a deixar alguma coisa para trás, a água massaja-me o corpo e sabe-me tão bem, rapidamente esqueço-me de tudo e fico apenas de pé a sentir o suave repuxo do chuveiro a bater-me nos ombros.
Saio do chuveiro, pego na minha sempre fiel toalha de banho azul-turquesa e seco-me, a barba já com um dia deixo-a por fazer, gosto de a ver assim, visto uns boxers novos, visto as minhas queridas calças de ganga com aquele típico azul gasto, visto a minha tshirt preferida, as meias, calço os ténis, ponho um pouco de perfume e lembro-me que me esqueci de escovar os dentes. Lá os escovo rápido porque já estou meio atrasado e vou para a cozinha. Pego no pacote de pão de forma, meto duas fatias a torrar e ponho água a aquecer no microondas para fazer um chá de cidreira.
Acabo de comer, vou ao quarto buscar o casaco, pego nas chaves, abro a porta, fecho a porta e é ai que me lembro, que finalmente me vem à cabeça. Abro a porta outra vez, pouso o casaco em cima do sofá da sala, dirigo-me ao quarto, abro a porta devagar, chego-me ao pé da cama, encosto-me a ti, dou-te um ligeiro toque no ombro com a mão:
- "Amor, desculpa ter-te acordado.. Amo-te."

2 comentários:

Joana Canas disse...

meu deus, que coisa tao querida. juro que me derretia toda

Anonymous disse...

"(...)O Grande Amor é aquele que passa tempos e tempos sem te falar, mas mal te diz "Bora?" vais a correr para os seus braços, estejas com quem estiveres. É mais forte do que tu. E se te armares em parva e não fores, vais ficar super arrependida e vais entrar numa profunda depressão, ansiando que o teu Grande Amor, se volte a lembrar de ti. Quando isto te acontecer, não penses muito e toma logo um banho, depila-te, põe-te bonita e vai ter com ele.(...)"

de Joana Canas