segunda-feira

Uma laranja, pequena e flôr

Se hoje me perguntassem o que sinto por ti não sabia como responder. Às vezes não me és nada, outras vezes és-me algo e a maior parte das vezes és-me tudo.
Talvez responde-se assim ou talvez nem por isso, a verdade é que não te posso garantir nada porque nem eu sei bem o que sinto por ti.
Sei que já te beijei, sei que já te toquei e também sei que já te magoei. Magoei-me ao magoar-te porque já te amei.
Se hoje me pedissem para te descrever bastava-me uma palavra: sorriso. Ponho a mão na cara e lembro-me de ti. Fico quieto, parado, a olhar para o tecto e a pensar em ti. Fico quieto, parado, a ouvir música e a pensar em ti. Fico quieto, parado, a olhar para o tecto e a pensar em ti. Acontece-me sempre pensar em ti quando olho para o tecto, porque fico calado, porque não digo uma palavra, penso mas não digo porque sei que o tecto não me vai responder.
Penso em ti nos momentos de silêncio porque são esses que me trazem mais saudade, de ti tudo me faz falta, mas eram aqueles momentos de silêncio com nada de constrangedor que mais me custam ter deixado para trás.
Quando duas pessoas estão numa esplanada e acaba o tema de conversa, quando já todos os sorrisos foram falseados em busca de trinta minutos bem passados aparece aquele silêncio constrangedor, contigo não se passa isso.
És - como já te disse - das poucas pessoas com quem prefiro passar um segundo em silêncio do que um dia como milionário. O simples facto de saber que estás a meu lado torna tudo mais simples e descomplicado, és-me mais do que alguma vez vou conseguir expressar por palavras, és-me demasiado e isso complica demasiado saber que te magoei, Desculpa.

2 comentários:

Joana Canas disse...

Tribe, eu inocentemente, penso que todos os textos deste tipo, são para mim LOL desculpa, é mais forte do que eu xD

*LaLa* disse...

Quero ser uma flor de laranjeira!(silêncio contrangedor)