terça-feira

Guillermo Vargas Habacuc

Em 2007, Guillermo Vargas Habacuc, colheu um cão abandonado da rua, atou-o a uma corda curtíssima na parede de uma galeria de arte e deixou-o, a morrer lentamente de fome e sede. Durante vários dias, tanto o autor de semelhante crueldade, como os visitantes da galeria de arte presenciaram impassíveis à agonia do pobre animal. Até que finalmente morreu seguramente depois de ter passado por um doloroso, absurdo e incompreensível calvario.












A prestigiosa Bienal Centroamericana de Arte decidiu, incompreensivelmente, que a selvageria que acabava de ser cometida por tal sujeito era arte e deste modo tão incompreensível, Guillermo Vargas Habacuc foi convidado a repetir a sua cruel acção na dita Bienal en 2008. Criou-se uma petição online para que Guillermo não repetisse a suposta crueldade, já assinada por mais de dois milhões de pessoas.

Entretanto Juanita Bermudez (o director da galeria) veio a público dizer que o animal estava sempre solto excepto durante as três horas que durava a exposição, que era alimentado regularmente por Guillermo Vargas, e que acabou por fugir pouco depois de um dia.

Vargas disse que "a peça" servia para testar o público e que nenhum dos visitantes teve qualquer tipo de intervenção de modo a ajudar o animal. Vargas não quis revelar se o animal acabou por sobreviveu durante a exposição e garante que recebeu várias ameaças de morte.

-

Eu acho estranho que no inicio se diga "Durante vários dias", que no fim o director da galeria diga que "o cão fugiu no primeiro dia", e ainda no último parágrafo Vargas "não revela se o animal sobreviveu" .
Se Guillermo Vargas tomou mesmo a atitude de deixar o cão morrer à fome e sede como acusam os activistas e defensores dos direitos dos animais, então ele devia ser posto num tribunal e condenado.
Mas se Guillermo Vargas de facto alimentou o cão e o soltava fora das horas da exposição, mas mantinha-o preso numa corda curtíssima, apesar de ser um bocadinho incómodo para o animal, não me parece que tenha cometido qualquer tipo de crime.


fontes: http://www.artinfo.com/ (noticia)
http://www.theviciousviolet.blogspot.com/

1 comentário:

Joana Canas disse...

Não sei tribe, baralhaste-me.