terça-feira

Salazar

Salazar, eleito o melhor Português! Eu não sou muito dedicado à política, mas isto.. isto é claramente uma prova da ignorância Portuguesa! Ora vejamos, existe mais algum país no mundo, em que o governo priva o povo de ter hospitais, escolas, e gasta-se enormes quantidades de dinheiro a construir estádios para um evento desportivo, e mesmo assim pomos bandeirinhas de Portugal nas nossas janelas?

Existe mais algum país no mundo, em que, um homem que impôs um governo fascista, e durante anos o povo Português foi alvo de atrocidades, por causa de uma ideologia errada? Homens, mulheres, crianças, morreram num período em que as ideias de Salazar eram exibidas como sinal de gratidão, pois ele tinha-nos dado estabilidade! Tinha-nos dado tudo, inclusive medo. É ESTE O MELHOR PORTUGUÊS? É este o homem que acham que dignifica a imagem de Portugal? O Salazarismo foi dos períodos mais negros para a história da nossa nação, e será sempre para todas as pessoas que sentiram na pele esse período de frustração, medo, fome e pânico.

Os Portugueses têm memória curta, talvez porque não querem lembrar-se do passado, ou porque acreditam que no futuro será melhor, sinceramente não acho que pensem apenas no presente, chegando à conclusão que os portugueses apenas gostam do que se faz hoje, não do que se fez ontem, nem do que se irá fazer amanhã. Basicamente, não fazem nem deixam fazer, deixam-se ficar, sendo absorvidos pelo que lhes é dado no momento, temendo pensar, porque pensar para muitos de nós aleija, e certamente é complicado.

Acima de tudo, não deixa de ser engraçado, que um homem, que nunca quis votações, tenha sido eleito o melhor Português. Mesmo depois de morto, continua a dar cartas na concorrência.
Agora pergunto-me, o que acontecerá, se o nome de Salazar, estiver nas próximas eleições para a Presidência da República?

1 comentário:

LFM disse...

É infinita a estupidez do português!

Só há uma conclusão a tirar desta palhaçada:
O resultado obtido deve-se sobretudo ao que se fez (e ao que não se fez), desde o 25 de Abril até hoje!
Agora e para não destoar, andamos todos perder mais tempo a dissertar sobre o assunto.